Livro – Identidade, Negritude e Branquitude

ArquivoExibir

   O livro “Identidade, Branquitude e Negritude – contribuições para a psicologia social no Brasil” publicado no final do ano de 2014 visa ser uma continuidade atualizada do livro “Psicologia Social do Racismo – estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil”. Este último foi publicado há mais de uma década, em 2002, representando um retrato das publicações da época na área da Psicologia Social sobre relações étnico-raciais. Ao longo de mais de uma década o “Psicologia Social do Racismo” se tornou uma referência teórica indispensável à todos os pesquisadores, militantes e educadores interessados e comprometidos com a problemática das relações étnico-raciais no Brasil. Eu, pessoalmente, tenho visto este livro nas bibliotecas de todos os pesquisadores negros que visitei desde 2005, quando ingressei na pós-graduação.

identidade_branquitude_e_negritude

Para a construção desta continuidade atualizada de pesquisas na área da Psicologia Social sobre relações étnico-raciais, o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT) tornou público edital nacional convidando gratuitamente psicólogos, pedagogos, educadores e demais profissionais de áreas afins que desenvolvem trabalhos ou pesquisas sobre os temas identidade, branquitude e negritude a submeterem artigos para a seleção de trabalhos para serem publicados no livro. As inscrições aconteceram de 15 de junho a 15 de setembro de 2011. Foram recebidos e analisados 38 artigos e ao término do processo seletivo foram selecionados 14 artigos das 5 regiões do Brasil. 

O livro foi organizado por Maria Aparecida da Silva Bento (CEERT), Marly de Jesus Silveira (UNB) e Simone Gibran Nogueira (PUCC). Cada uma das organizadoras também tem um capítulo autoral no livro.

Segue o resumo do livro: 

O racismo institucional, a pertença religiosa, a literatura, os processos de exclusão de crianças e adolescentes quilombolas e a complexidade do corpo negro são temas tratados nesta publicação de forma articulada, com a dimensão identitária das relações raciais, por diferentes autoras e autores, por meio de relatos de experiências profissionais, estudos teóricos e ensaio. O objetivo é focalizar a complexidade da identidade racial de brancos e negros, afetada diretamente pelo sistema de relações raciais vigente, em que a desigualdade e a exclusão racial são agudas, e brancos e negros são colocados em lugares simbólicos e concretos extremamente diferentes, não raro antagônicos, muitas vezes vendo a si próprios e ao outro de maneira distorcida, o que favorece o tensionamento entre os grupos, bem como a permanência do quadro das desigualdades. A compreensão da dimensão subjetiva e de seus meandros pode propiciar uma leitura mais profunda do contexto racial em que estão inseridos os diferentes grupos, criando condições para a construção de uma sociedade mais igualitária e democrática.

O livro está disponível nas livrarias ou direto na Editora Casa do Psicólogo.

Como uma das organizadoras eu (Simone) também publiquei um capítulo no livro, intitulado “Políticas de identidade, branquitude e pertencimento étnico‐racial”. Segue o resumo e o link para visualização do PDF escaneado.

Resumo do capítulo: Este texto é uma revisão crítica de literatura sobre pertencimento étnico‐racial. Relaciona o referido conceito a processos de humanização e desumanização numa perspectiva africana. A partir desta reflexão conceitual, analiso o contexto brasileiro, no qual as relações sociais hegemônicas são baseadas na ideologia da supremacia racial branca, e como estas relações impactam na subjetividade dos que são privilegiados por essa ideologia.

Acesse o artigo escaneado em PDFPolíticas de identidade, branquitude e pertencimento étnico-racial

Anúncios